Disciplina - detalhe

LCF0636 - Silvicultura Urbana


Disciplina de Graduação

Objetivo
Estudar os princípios e práticas de planejamento, implantação, manejo e conservação, de ecossistemas florestais urbanos, considerando as interações entre vegetação - atividades e necessidades humanas - planejamento e desenho urbano. O enfoque principal será dado sobre a função da vegetação nos espaços urbanos, os modelos de produção de mudas e distribuição de espécies adequadas para diferentes condições, manejo silvicultural, políticas públicas e organização comunitária.

Programa resumido
4. PROGRAMA RESUMIDO:

A história das cidades e da silvicultura urbana. Os usos, benefícios e a importância da vegetação nos ambientes urbanos. Princípios de paisagismo. Planejamento em silvicultura urbana. O manejo dos ecossistemas florestais urbanos. Políticas públicas municipais(política ambiental, estrutura administrativa, planejamento urbano, etc.) e programas comunitários para implantação, recuperação, valorização e manutenção dos ecossistemas florestais urbanos.

Programa
3- PROGRAMA ANALÍTICO:

A história das cidades e da silvicultura urbana: a distribuição e a importância da vegetação nas cidades não planejadas e planejadas (a cidade medieval, a cidade industrial, a cidade jardim, as cidades com influência do desenho urbano espanhol, português, inglês, a cidade moderna). Os usos, benefícios e funções da vegetação nos ambientes urbanos: melhoria da paisagem urbana (estética/paisagismo); melhoria do conforto térmico e acústico; controle da erosão; controle da poluição do ar e da água; controle da luminosidade, reflexão e ofuscamento; lazer e recreação; direcionamento e ordenamento do tráfego de pedestres e veículos; usos na arquitetura; benefícios econômicos; benefícios para a fauna. Princípios de paisagismo: elementos de artes plásticas aplicados ao paisagismo (ritmo, cor, volume, textura,luz); estilos de parques e jardins (estilo clássico/francês, estilo romântico/inglês, estilo composto, estilo moderno, o jardim japonês. Planejamento em silvicultura urbana: a distribuição da vegetação nos espaços públicos e privados e a responsabilidade pelo manejo; arborização de ruas, avenidas e estradas ; parques urbanos; jardins públicos e privados; áreas verdes; florestas ripárias; florestas peri-urbanas. A influência do meio físico (espaço, adaptação de espécies florestais a diferentes níveis de luminosidade, solos, topografia, microclimas, etc.), das atividades antrópicas (necessidades, usos, poluição, etc.) e das características biológicas e ecológicas das plantas na seleção das espécies e na sustentabilidade dos ecossistemas florestais urbanos naturais ou plantados. Inventário florestal em áreas urbanas. Sensoriamento remoto e bancos de dados no manejo da floresta

urbana e sua valoração.Produção de mudas; plantio (espaçamento, distribuição, sistema radicular, nutrição); manutenção (nutrição, poda, pragas, cuidados especiais, máquinas e outros equipamentos para manutenção). Políticas públicas municipais(política ambiental, estrutura administrativa, planejamento urbano, etc.) e programas comunitários para implantação, recuperação, valorização ; manutenção dos ecossistemas florestais urbanos e

Bibliografia
DALCIN, E.; ZVEITER, S.; LEITMAN, M. Base de dados sobre árvores ornamentais utilizadas na arborização urbana. Curitiba: Fundação O Boticário de Proteção à Natureza. http://www.elogica.com.br/users/edalcir/árvores/index.html.

ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. Guia de arborização. São Paulo: ELEKTRO, 1999. 36p.

GREY, G. W. & DENEKE, F. J. Urban Forestry. New York: John Wiley and Sons, 1986. 255p.

MILLER, R. W. Urban forestry - Planning and managing urban greenspaces. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice Hall, Inc., 1988. 404 p.

MUNFORD, L. A história das cidades. Lisboa: Edições 70, 1967. 562p.

SOARES, M. P. Verdes urbanos e rurais: orientação para arborização de cidades e sítios campesinos. Porto Alegre: Cinco Continentes Editora, 1998. 242p.

UNIVERSIDADE ABERTA DO MEIO AMBIENTE. Curso sobre arborização urbana. Curitiba: Universidade Aberta do Meio Ambiente, 1994. 152p.